Recebendo uma visita canina em casa

Em algum momento da sua vida você vai ter a oportunidade de hospedar um cachorro em sua casa de um amigo que precisa viajar ou coisa parecida. Antes de aceitar o convite em definitivo é preciso ficar atento a alguns pontos, principalmente se você já tem um animal de estimação em casa.

chico e caetano.jpg

Cães são territorialistas por natureza, demarcam sua zona de controle com seu cheiro (e urina rsrs) e nem sempre gostam que seu espaço seja “invadido” por muito tempo. Por isto o portal Oba comenta alguns critérios para uma hospedagem onde todos possam passar bons dias de divertimento e não de estresse em seu apartamento ou casa.

Entendendo-a-Linguagem-corporal-canina-4.jpg

Se você não conhece muito bem o cãozinho do seu amigo, é bacana ir conhecê-lo em alguma praça ou local neutro do território dos dois caninos envolvidos. Isto faz com que eles fiquem mais abertos a receber outro cão, pois não estarão tentando defender seu espaço ou ficando enciumados por ver seu dono acariciando outro cão justo no sofá que ele gosta tanto de cochilar.

chico vagner caetano.jpg

Observar o comportamento entre os dois pets é essencial, pois pode identificar sinais de estresse ou agressividade. Nos primeiros instantes pode rolar algo assim, mas com o passar de alguns minutos tudo tende a melhorar. Se houver tentativa de ataque ou algo mais grave entre eles, é legal considerar em não hospedar e ajudar seu amigo a encontrar outra pessoa, talvez sem cachorros ou gatos – se a agressividade parte do outro cão – para abrigá-lo pelo período.

Correndo tudo bem neste encontro canino, é legal observar bem como o dono, seu amigo, interage com o seu cãopanheiro para aprender o que o agrada e repetir enquanto estiver com você a sós. Assim vai reduzir a sensação de abandono e estranheza dele por estar alguns dias sem ver o seu humano por perto.

Quando for o dia de receber seu hóspede, faça o encontro dos dois cachorros novamente fora de casa e leve os dois juntos para lá após o encontro externo. Enquanto eles se reconhecem e brincam, converse com seu amigo sobre a rotina dele, necessidades, manias e detalhes que vão ajudar você a dar um melhor acolhimento a sua visita.

Peça para que traga o quanto baste de ração, alguns brinquedos que goste, talvez até uma peça de roupa do seu amigo com o cheiro dele para que seu hóspede canino possa sentir-se bem. Também é bacana trazer a caminha ou alguma manta que ele gosta de dormir.

Com tudo isto em mãos, estabeleça um cantinho para comida e água e um outro para ser a cama do seu hóspede (com brinquedos, roupa do dono e manta). Assim seu próprio cão ficará mais sossegado e sentir-se menos oprimido com o hóspede.

E lembre-se bem: leve-os para passear e brincar juntos, brinque com ambos em sua casa dando o mesmo carinho e atenção para eles. Se o nobre hóspede for um pouco bagunceiro ou destruidor, guarde as coisas que ele costuma ter como alvo e fique monitorando suas atividades para chamar a atenção dele e desviar o foco.

chico.jpg

Tudo isto vai garantir uma estadia tranquila e animada, certamente uma experiência agradável para todos os envolvidos, sejam humanos ou caninos. 😉

 

*Nas fotos são Chico e Caetano, os amores do Vagner Rodrigues – que escreveu este texto. Chico foi adotado primeiro, depois de quase dois anos veio o Caetano e procedi com a adaptação deste modo – não era uma hospedagem, mas envolvia dois cãopanheiros para longa data. ❤

Invista em retorno, não em exposição

Todo mercado evolui com empresas que inovam e rompem com o “sempre foi assim” do seu mercado. No mercado imobiliário aconteceu isto com a ajuda da internet.

Antes, na época do jornal, os anúncios de imóveis tinham uma limitação de tempo e quantidade – já que não poderiam colocar todos os imóveis no jornal e o jornal, por ser diário, faria o anúncio em si durar um dia somente.

Com a internet isso mudou e os primeiros portais traziam o mesmo modelo limitado de quantidade – e ainda perduram com isto, mas romperam com a limitação de tempo. Uma vez que o imóvel ficava ali exposto 24 horas por dia durante todo o mês ou o período que fosse o contrato entre imobiliária e portal.

Com a internet mais madura no Brasil e mundo, vieram portais que romperam com a barreira da quantidade, podendo agora a empresa anunciar todos os seus imóveis sem pagar mais por isto – o que distinguia planos eram os destaques somente (coisa que vem desde o jornal de certo modo).

O que tem de comum entre todos estes que representam mais de um século de anúncios é que todos estão baseados em exposição. Ou seja, você pagava para o jornal para expor uma quantidade limitada de imóveis por um tempo limitado. Depois pagava para um portal para expor poucos imóveis por tempo determinado em pelo contrato (mas não só por um dia, por exemplo). E por fim, pagava-se para expor todos os imóveis sem a barreira de tempo de um jornal.

Mas existe uma grande diferença entre expor e ter retorno. Você pode expor todos ou poucos imóveis, por 1 dia ou 1 ano, mas não existia garantias de quantos e de que qualidade seriam os contatos que gerariam – e se gerariam algo.

E esse o paradigma que se vê sendo quebrado no mercado atualmente. Portais como o Oba.com.br vêm inovando e dando a resposta que o mercado precisa, principalmente em momentos turbulentos de crise como o que o Brasil atravessa hoje.

Ao invés de pagar pela exposição dos imóveis no Oba, você paga pelo retorno. Ou seja, paga apenas pelos contatos e com a garantia de que receberá a quantidade de contatos que contratar.

Na ponta do lápis, enquanto um portal tradicional você não saberia dizer exatamente quanto custa cada contato – pois existe uma variação de quantidade e qualidade entre os meses, no Oba você saberá exatamente o quanto pagará por cada contato – pois este é nosso negócio: levar potenciais clientes até você. E não “mostrar seus imóveis na internet”.

 

Na crise invista melhor, não menos

Quando a coisa aperta a primeira coisa que pensamos é: preciso cortar gastos. Ok, alguns precisam ser revistos. Mas deixar de investir no que traz o cliente até você não é um bom corte ou reajuste. Concorda comigo?

O pensamento mais adequado seria em rever o investimento e direcionar ao que mais dá retorno. Pode fazer isto analisando os portais que investe, por exemplo, e ver quem gera mais contatos de qualidade, quanto paga por eles e o quanto teria de contatos se investisse somente nele. Porém, ainda assim ficaria à mercê das variações de quantidade e qualidade, pois para os portais tradicionais se paga pela exposição, não pelo contato.

Repense o modo que você investe para ser mais assertivo no uso do dinheiro da sua imobiliária. Invista em trazer novos clientes e esqueça o velho mercado de exposição.