Um dia você precisa sair do ninho!

Hora de dar tchau para o velho quarto que você tinha desde a infância na casa dos pais e alçar o próprio voo em um imóvel próprio ou alugado, morando fora da barra da saia da mãe e pagando as próprias contas (e mais contas).

Continuar lendo Um dia você precisa sair do ninho!

Corretor de imóveis: uma nova geração de moradores

As gerações vão sobrepondo-se e convivendo no mercado consumidor, compartilhando a atenção dos corretores de imóveis que precisam aprender a falar com cada tipo diferente de pessoa.

Continuar lendo Corretor de imóveis: uma nova geração de moradores

Design industrial para interiores

Madeira, ferro e concreto. Muito concreto exposto. São elementos básicos que compõem o estilo industrial de decoração de apartamentos. Estilo este que nasceu na década de 70 em Nova Iorque com o aproveitamento de galpões industriais para servirem de apartamentos – que hoje são magníficos e caríssimos exemplares do mercado imobiliário nova-iorquino.

estilo industrial 1

A regra é deixar o ambiente o mais cru possível, expondo fiações, canos de ferro, vigas de madeira ou concreto, e finalizar com detalhes que dão cor ao cinza e marrom das estruturas. Cores que casam bem com estas são o amarelo, vermelho e laranja. Cores quentes em geral, porém é fácil notar que com o cinza quase toda a paleta de cores faz sentido e agrada aos olhos – basta escolher as variações e tonalidades certas para dar uma direção à aura do seu apartamento.

estilo industrial 3

Outro ponto marcante deste estilo é não exagerar em detalhes em objetos. Eles precisam estar em total harmonia com o ambiente. Aqui, menos é mais. E, se menos, precisa ser certeiro.

No site da Pau e Pedra Design, por exemplo, encontramos peças mesclam concreto, madeira e vidro, e que exploram este conceito com peças de linhas retas ou delicadamente naturais – que quebram a sobriedade das paredes cinzas com cor e forma.

Este slideshow necessita de JavaScript.

 

O mesmo movimento de revitalização ou reocupação de algumas áreas de Nova Iorque como zonas residenciais vem acontecendo aqui no Brasil em algumas capitais. O mais forte dos movimentos talvez seja sentido nos apartamentos em São Paulo, na região central onde está Sé, República, Baixo Augusta e Santa Cecília.

estilo industrial 6

Nesta região estão sendo erguidos muitos edifícios novos e também ocorrendo a modernização de outros prédios antigos. Muitos deles serão lofts duplex, por exemplo, um tipo de apartamento que combina e muito com a decoração de interiores no estilo industrial.

Veja abaixo mais imagens de apartamentos para inspirar você!

Este slideshow necessita de JavaScript.

O que mudou no financiamento do imóvel na Caixa

A Caixa Econômica Federal anunciou medidas para o crédito imobiliário. Agora, os funcionários públicos poderão financiar até 80% do valor de um imóvel usado. Para os trabalhadores do setor privado o teto para essa cota de financiamento é de 70% do valor do imóvel. Os novos tetos passam a vigorar a partir do dia 24 de março.

Veja na tabela abaixo como ficam os tetos para financiamento de imóveis usados após as mudanças anunciadas pela Caixa:

Imóvel usado – Quota de Financiamento (% A.A)
Tipos de financiamentos Setor Privado Setor Público
Vigente Nova Vigente Nova
SFH (SAC) 50 70 60 80
SFH  (Tabela Price) 40 40 40 40
SFI (SAC) 40 60 50 70
SFI (Tabela Price) 40 40 40 40

 

São enquadrados no SFH financiamentos de imóveis de até 750 mil reais, já o SFI engloba financiamentos de imóveis de mais de 750 mil reais

As mudanças valem para financiamentos pelo Sistema de Amortização Constante (SAC), o mais utilizado no mercado e no qual as parcelas do financiamento são decrescentes ao longo do tempo.

No caso de financiamento pela Tabela Price, com parcelas fixas, os tetos para financiamento de imóveis usados se mantêm tanto no caso de trabalhadores privados como trabalhadores públicos, pelo SFH e pelo SFI.

 

Descubra o melhor momento para comprar e investir em imóveis no blog da Lopes

Também será possível novamente acessar recursos para financiar um segundo imóvel. As negociações para esse tipo de compra devem ter as mesmas condições aplicadas ao primeiro financiamento. Com isso, será possível ter dois imóveis financiados pelo banco ou, por exemplo, ganhar mais tempo para vender um deles no caso de negócios casados.

 

Sobre o autor:

O Grupo Lopes é considerado a maior empresa de consultoria imobiliária do Brasil. Já foi responsável pela intermediação de mais de 900 mil unidades de imóveis, conta com aproximadamente 15 mil corretores associados e está presente em 9 estados do Brasil.

Caixa volta a financiar até 70% do imóvel usado

A Caixa Econômica Federal altera os limites de financiamento outra vez. Mas desta vez não reduziu, mas, sim, aumentou o limite de financiamento de imóveis usados tanto no que se enquadra no o SFH como no SFI.

Para pessoas que trabalham no setor privado, o limite passa de 50% para 70% em imóveis financiados pelo SFH, que custam até R$ 750 mil nos estados de Minas Gerais, São Paulo, Rio de Janeiro e no Distrito Federal; ou R$ 650 mil nos demais estados.

Já no SFI, para acima de R$ 750 mil ou R$ 650 mil (segundo as regras de estados mencionados acima), o limite passa de 40% para 60% do valor total do imóvel.

Para quem trabalha no setor público os limites alcançam até 80% no SFH, e até 70% no SFI.

Hora de declarar seu imóvel no imposto de renda 2016

Chegou o momento de fazer sua declaração de imposto de renda e deixar tudo claro para o leão o quanto você faturou e os bens que possui. Isto inclui casas, apartamentos, sobrados, casas em condomínio e qualquer outro tipo de imóvel.

A primeira dúvida que pode surgir é se existe alguma diferença em declarar estes diferentes tipos de imóvel. A resposta é não. Independente se é um apartamento ou uma casa térrea, declarar o seu imóvel tem o mesmo procedimento.

O valor a ser declarado no Imposto de Renda deve ser o valor real do imóvel, mais o valor de benfeitorias realizados. Importante destacar que estas benfeitorias podem necessitar de comprovação por meio da fiscalização da Receita Federal, logo, guarde todas as notas que comprovem isto por um período de 5 anos após a venda do imóvel.

Deve-se fazer uma descrição completa na Declaração, informando os detalhes de aquisição. E para o caso de um imóvel em financiamento, deve-se informar as condições de financiamento assim como a soma da entrada e parcelas pagas até 31/12/2014 e fazer o mesmo para até 31/12/2015 – o que seria o valor anterior somado as parcelas pagas no ano calendário da sua declaração. O saldo devedor do seu financiamento não deve ser declarado em Dívidas e Ônus.

 

Vem estudar em São Paulo? Leia isto antes

Para milhares de brasileiros a época de iniciar o curso superior é o momento de desgarrar-se da família e morar sozinho em outra cidade, outro estado em alguns casos. É hora de buscar um apartamento para alugar próximo à universidade que pretende estudar ou que foi aprovado no vestibular de fato.

Para a família em todos os casos é uma situação de aperto no peito misto com a felicidade do avanço do seu filho ou filha, mas também um momento de botar na ponta do lápis o quanto vai precisar colaborar para que possa dar condições de moradia para quem parte para os estudos.

É importante ter em mente a oscilação do mercado imobiliário analisando o histórico da flutuação dos preços de aluguéis e o início das aulas na universidade. Os imóveis em São Paulo, por exemplo, no histórico dos últimos 6 anos, no que coincide com os dois semestres, as menores oscilações positivas ocorrem em agosto e em janeiro, segundo análise com dados de mercado por portal Oba.

Este “primeiro aluguel”, que é o valor de contrato inicial, vai reger todos os outros meses até o aniversário do contrato, quando ele então é corrigido, geralmente pela IGP-M acumulada nos 12 meses. Logo, se obtiver um valor menor de aluguel, terá uma base de cálculo menor para correção – além de ser o valor de pagamento dos 12 primeiros meses.

O ideal é que, quando estiver certa a matrícula na universidade, você já entre em contato com imobiliárias das regiões próximas para saber sobre valores e iniciar uma negociação.

Em termos gerais, os últimos anos foi de aumento no valor do aluguel e, neste ano, a tendência é de queda nos preços. Logo, a probabilidade de que agosto terá uma queda maior sobre julho que julho sobre junho é forte, indicando um ponto positivo por firmar contrato neste período ou tentar negociar o valor com mais embasamento sobre o comportamento do mercado.